IEPS - INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA EM SAÚDE

Acupuntura para mulheres inférteis não submetidas a técnicas de reprodução assistida (TARV)- Uma revisão sistemática e meta-análise

  • Dra. Elba Lúcia Wanderley dos Santos
  • 23 de julho de 2020

Objetivos:

Principal:  Avaliar a taxa de gravidez com o tratamento através da acupuntura sozinha ou combinada com outras terapias. 

Secundários: Analisar a taxa de ovulação, espessura endometrial, índices hormonais, como hormônio luteinizante (LH) e hormônio folículo estimulante (FSH).

Critérios de inclusão e métodos:

  • Foram incluídos todos os ensaios clínicos randomizados e controlados até 2018
  • Mulheres de 20 a 40 anos.
  • Companheiros com sêmen de qualidade e forma normais cromossômicas.
  • Mulheres que falharam em conceber com vida sexual por 1 ano, sem métodos contraceptivos.
  • Mulheres com diagnóstico ginecológico de infertilidade.
  • Mulheres que não recebem tratamento por reprodução assistida

Trabalhos elegíveis – 22 ensaios, totalizando 2591 participantes e abrangendo infertilidades de várias etiologias. Dois grupos de estudos foram avaliados. 01- Grupo experimental, que recebeu acupuntura ou terapias combinadas chinesas; 02- Grupo controle, que recebeu outras terapias padrões, como drogas ministradas por via parenteral ou oral.

OBS: não foram incluídos estudos nos quais a intervenção do grupo controle não estava de acordo com as últimas diretrizes da NICE (National Institute for Health and Care Excellence)

Resultados –Parâmetros avaliados quanto à taxa de gravidez nesta meta-análise:

  • Índice de ovulação:  houve um aumento significante entre os grupos experimentais e controle para o nível de LH, porém, não houve diferença significativa em relação ao nível de FSH (MD = 0,20, IC95% 0,42 a 0,82, P = 0,53).
  •  Houve diferença significativa entre os grupos em relação a espessura endometrial (MD = 1,39, IC 95% 0,51–2,27, P = 0,002), indicando que com a acupuntura a espessura endometrial poderia ser melhorada.

Comentários -A acupuntura sozinha ou combinada gerou mais benefícios na taxa de gravidez em comparação com as terapias padrões. Mostrou, também, benefícios significativos para diferentes tipos de infertilidade, consequente a modulação do eixo hipotálamo-hipófise-ováriano, já demonstrada em outras meta-análises.  Subgrupos de ensaios avaliados mostraram que a acupuntura foi mais eficaz na infertilidade ovulatória, como também, quando comparada a eficácia com outros tratamentos padrões como Citrato de clomifeno, um modulador seletivo do receptor de estrogênio, considerado o tratamento de 1ª linha. Outro aspecto relevante, foi o aumento da espessura endometrial que facilitou a taxa de gravidez, o que está intimamente relacionado ao fluxo sanguíneo da artéria uterina. Isso, possivelmente aconteceu, devido ao efeito simpático-inibitório da acupuntura na impedância arterial, fornecendo um ambiente fisiológico para facilitar a ovulação e fertilidade.

Conclusão- As evidências atuais identificadas nesta meta-análise sugeriram que a acupuntura pode ser eficaz no tratamento da infertilidade feminina. A melhora da qualidade metodológica dos ensaios faz-se necessário para maior segurança na prática clínica.

Yun L, et al. Acupuncture for infertile women without undergoing assisted reproductive techniques (ART)A systematic review and meta-analysis. Medicine (2019) 98:29

 Elba Lúcia Wanderley- IEPS

Dra. Elba Lúcia Wanderley dos Santos

About Dra. Elba Lúcia Wanderley dos Santos

Médica com título de especialista em Ginecologia-obstetrícia, acupuntura, homeopatia e clínica de dor, mestre em Ciências Médico cirúrgica pela Universidade Federal do Ceará, coordenadora do ambulatório de acupuntura do HC-UFPE, Preceptora da residência em acupuntura do HC-UFPE, docente da cadeira Bases do Tratamento da dor da UFPE e docente da cadeira de acupuntura da UFPE.

Gostaria de compartilhar seu comentário?

Seu endereço de e-mail não será publicado.